Hacker Delgatti

Hacker Delgatti deixa Bolsonaro em maus lençóis na CPMI em pelo menos 7 sete situações diferentes. Confira!

NOTÍCIAS

Nesta quinta-feira (17), o hacker Walter Delgatti compareceu diante da CPMI dos Atos Golpistas, revelando afirmações de impacto que podem causar sérias complicações para o ex-presidente Jair Bolsonaro.

Hacker dos escândalos da Lava Jato e invasor do CNJ

Detido em agosto, Delgatti tornou-se figura conhecida nacionalmente em 2019 após vazar mensagens das autoridades envolvidas na operação Lava Jato, desencadeando o Vaza Jato. Sua fama persistiu quando invadiu o sistema do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Veja também: Defesa de Bolsonaro anuncia medidas legais após acusações do hacker

Convocado pela CPMI

O depoimento de Delgatti à CPMI foi motivado por uma operação da Polícia Federal que também incluía a deputada Carla Zambelli (PL-SP), visando elucidar a invasão e inserção de documentos falsos no Banco Nacional de Mandados de Prisão (BNMP), como um mandado de prisão falso contra o ministro Alexandre de Moraes.

Afirmações que abalam Bolsonaro

A sessão revelou sete declarações contundentes que colocam Jair Bolsonaro no centro das irregularidades relacionadas às eleições de 2022:

1- Pedido de indulto presidencial

Delgatti alega que havia expectativas de receber um indulto presidencial, citando o caso de Daniel Silveira, deputado federal preso. Com cautelares restritivas, ele buscava o mesmo benefício.

2- Gravações comprometedoras

Segundo Delgatti, Bolsonaro mencionou possuir gravações comprometedoras do ministro Alexandre de Moraes, esperando que o hacker assumisse a autoria destas gravações.

3- Oferta de emprego na campanha

De acordo com ele, Zambelli teria oferecido a Delgatti uma oportunidade de emprego na campanha de Bolsonaro, como parte da articulação.

4- Código-fonte forjado

Delgatti também afirma que foi solicitado a criar um código-fonte, diferente do oficial do TSE, com elementos enganosos para semear dúvidas sobre a eleição.

5- Execução de ordens presidenciais

O hacker expressou ter agido sob ordens do presidente, reconhecendo o caráter ilegal das ações, mas também ressaltando seu medo.

6- Mandado de prisão falso

Ainda, Delgatti assumiu ter inserido o mandado de prisão falso de Alexandre de Moraes no sistema, mas disse ter feito isso a partir de um texto fornecido por Zambelli.

7- Relatório transparente

Por fim, o hacker assegurou que todas as informações repassadas também constam no relatório entregue ao TSE, afirmando estar sendo coerente em suas declarações.

Se interessou pelo nosso conteúdo? Então não deixe de conferir mais artigos como esse no melhor lugar para descansar a sua mente: o Seu Passatempo!

5 thoughts on “Hacker Delgatti deixa Bolsonaro em maus lençóis na CPMI em pelo menos 7 sete situações diferentes. Confira!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *