colossos de memno

Esse mistério ancestral só pode ser resolvido 3400 anos depois com a ajuda da ciência

CURIOSIDADES

Há cerca de 3400 anos, algo insólito acontecia no Egito. Um dos famosos “Colossos de Memnon” começou a “cantar”. Segundo registros em hieróglifos, ao amanhecer, essa colossal estátua emitia um som que se prolongava por minutos, como uma tonalidade potente e misteriosa que, gradualmente, desvanecia.

A curiosidade dos pesquisadores

Esse fenômeno deixou muitos arqueólogos e pesquisadores intrigados. Como poderia uma estátua, mesmo com sua imponência, produzir tal som? E por que somente durante o amanhecer?

A explicação revelada pela ciência

Após extensas investigações, a ciência ofereceu uma explicação fascinante. O “canto” do Colosso não era exatamente um canto. Durante as manhãs, o calor produzido fazia com que o orvalho, preso nas fissuras da estátua, evaporasse. Esse processo de evaporação causava vibrações acústicas que ressoavam no ar do deserto egípcio. Assim, o que se ouvia não era um “canto” místico, mas sim vibrações acústicas originadas pela interação entre a água e o calor dentro das rachaduras do colosso.

Os mistérios do passado muitas vezes escondem explicações fascinantes, reveladas pela união entre curiosidade humana e avanços científicos.

O “canto” dos Colossos de Memnon é apenas um exemplo de como a ciência pode lançar luz sobre enigmas antigos, conectando-nos de maneira surpreendente com nossos ancestrais.

Não quer perder nenhum conteúdo exclusivo do Seu Passatempo? Então, vá até o Google Notícias e selecione “✩ Seguir”. Assim, todas as nossas atualidades aparecerão diretamente para você!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *