carro com vidro quebrado pelo granizo

Granizo após vários dias quentes… Como isso acontece?

CURIOSIDADES

Em meio a uma onda de calor sem precedentes, que está fazendo termômetros explodirem, um fenômeno climático intrigante vem roubando a cena: a chuva de granizo após dias de calor escaldante.

Recentemente, o Rio de Janeiro foi palco desse evento climático inusitado, causando alvoroço nas redes sociais. Mas afinal, por que isso acontece? Entenda agora!

Veja também: TRAGÉDIA na Grécia: TRÊS ANOS de chuva em apenas DOIS DIAS!

Houve chuva de granizo em vários lugares do Rio de Janeiro

A zona oeste do Rio de Janeiro e a Baixada Fluminense foram as áreas mais afetadas por essa surpreendente tempestade de granizo, que deixou muita gente perplexa. A hashtag “granizo” até mesmo se tornou um dos tópicos mais comentados nas redes sociais.

Mas o que explica esse fenômeno climático?

Conheça o papel da cumulonimbus

Ao contrário do que se possa pensar, a ocorrência de uma tempestade de granizo após um dia quente não é incomum. Tudo se deve à formação de uma nuvem especial chamada cumulonimbus.

As cumulonimbus são conhecidas como “nuvens frias” pelos especialistas, uma vez que parte delas possui temperaturas abaixo de zero grau. É essa condição que possibilita a formação do granizo dentro dessas nuvens.

Por outro lado, as “nuvens quentes” têm temperaturas acima de zero grau em toda a sua extensão, o que as diferencia das cumulonimbus. Embora possam causar chuvas fortes, essas nuvens não geram raios nem granizo.

Entenda a formação das pedras de gelo

Dentro das enormes nuvens cumulonimbus, as pedras de gelo começam a se formar em camadas. Quando as correntes ascendentes dentro dessas nuvens não conseguem mais sustentá-las no ar, as pedras de gelo tornam-se pesadas demais e caem em direção ao solo.

É importante ressaltar que, enquanto estão dentro das nuvens, essas pedras de gelo são consideravelmente maiores. No entanto, à medida que percorrem o caminho até o solo, elas começam a derreter e, consequentemente, a perder massa, resultando em tamanhos variados quando atingem a superfície.

Qual a velocidade de queda do granizo?

A velocidade de queda do granizo depende de diversos fatores, incluindo o tamanho das pedras e as condições do vento. De acordo com a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) dos EUA, para granizo pequeno, a velocidade de queda esperada varia entre 15 km/h e 40 km/h.

Já em tempestades mais intensas, os granizos podem cair a velocidades entre 40 km/h e 65 km/h. Nas tempestades gigantes, conhecidas como supercélulas, as pedras podem atingir tamanhos maiores, variando entre 5 a 10 cm de diâmetro, e cair a velocidades de até 120 km/h.

Consequências e mudanças climáticas

As tempestades de granizo podem causar sérios danos, tanto materiais quanto físicos. Elas têm o potencial de danificar propriedades, colheitas e até mesmo aeronaves. A intensidade dessas tempestades varia e pode ser agravada por fatores climáticos, como a mudança climática.

Com o aumento das temperaturas globais, a tendência é que as tempestades de granizo se tornem mais comuns e mais severas. O calor provoca a evaporação de mais água da superfície terrestre, fornecendo umidade suficiente para a formação de granizo nas camadas mais frias da atmosfera.

Em média, as tempestades de granizo causam bilhões de dólares em danos anualmente nos Estados Unidos, de acordo com a NOAA. A maior pedra de granizo já registrada nos EUA caiu em Dakota do Sul, em 2010, com diâmetro de 20,3 cm e circunferência de 47,3 cm, pesando cerca de 900 gramas.

Portanto, a próxima vez que você se deparar com uma tempestade de granizo após um dia quente, saiba que há uma explicação científica para esse fenômeno. As mudanças climáticas podem tornar esses eventos ainda mais frequentes e intensos.

Fique ligado nas atualidades do Seu Passatempo para mais informações fascinantes!

Não quer perder nenhum conteúdo exclusivo do Seu Passatempo? Então, vá até o Google Notícias e selecione “✩ Seguir”. Assim, todas as nossas atualidades aparecerão diretamente para você!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *