Marlon Brando em fundo preto

Marlon Brando foi ainda mais chocante do que Will Smith no Oscar

CURIOSIDADES

Em 1973, todos aguardavam a presença de Marlon Brando na cerimônia do Oscar. Afinal, ele era o favorito à estatueta de Melhor Ator por sua atuação em “O Poderoso Chefão” (1972). No entanto, Brando decidiu não comparecer e, em seu lugar, enviou Sacheen Littlefeather, uma ativista nativa americana.

Veja também: VÍDEO CHOCANTE: Homem ataca mulher que estava passeando com cachorros em Miguel Hidalgo

Uma mensagem poderosa

Ao subir ao palco, Sacheen não estava lá apenas para receber o prêmio em nome de Brando. Ela tinha uma missão: denunciar o modo como os nativos americanos eram retratados em Hollywood.

Em um misto de aplausos e vaias, a jovem ativista explicou que Brando não poderia aceitar a premiação devido à representação inadequada e, muitas vezes, depreciativa dos nativos americanos no cinema. Com apenas 60 segundos, ela não pôde ler todo o discurso preparado.

As reverberações de um ato

Mais tarde, em uma coletiva de imprensa, Sacheen leu o discurso completo escrito por Marlon Brando. A mensagem causou alvoroço e levou a um debate nacional nos Estados Unidos sobre a consciência e a representação dos povos indígenas.

O ato de Brando, embora controverso para alguns, elevou a questão a um novo patamar e fez com que muitos repensassem a forma como muitos viam e representavam os nativos americanos na indústria do entretenimento.

Além desse evento, o Oscar, ao longo dos anos, teve diversos momentos marcantes, mas o protesto de Marlon Brando em 1973 é, sem dúvida, um dos mais significativos.

Interessado em outros acontecimentos icônicos da cultura pop? Navegue por Seu Passatempo e descubra mais curiosidades e eventos marcantes do mundo do entretenimento!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *